Vida de VideoMaker

Ser um “Produtor de vídeos” é coisa nova, profissão que há 15 anos nem existia. Caramba, fazem 30 anos que eu trabalho com informática e já vi tanta profissão ser criada e destruída que dá até uma canseira. É, sem dúvida, um profissional polivalente e multidisciplinar, assim como “euzinho” aqui. Meu Pai ficaria orgulhoso de ver e iria rir um bocado com as soluções criativas, verdadeiras gambiarras que fazem um efeito incrível depois de pronto. Imagino então como deveria ser na década de 70 e 80 com recursos ainda mais escassos.

Eu me surpreendo com o resultado final utilizando tão poucos recursos. Em uma parede verde, pintada com capricho, uma dúzia de lâmpadas LED posicionadas estrategicamente e um celular com um bom microfone externo bastam para fazer verdadeiras viagens a outro mundo.

A escassez de recursos financeiros é primordial para que um profissional criativo desenvolva tecnologias alternativas. Um celular velho que grave em HD substitui uma câmera de 30 mil reais assim como um microfone de lapela boya de boa qualidade substitui um Shure de altíssima qualidade. Por outro lado, podemos dizer que é um risco gigantesco de se fazer uma economia porca e seu vídeo ficar ruim.

Existe algo mais importante do que o trio Trama, Equipamento e Protagonista. É o “Diretor” que define se sua produção será boa ou ruim e se irá passar a mensagem desejada. Quando falam dos filmes legais, ele é o cara! Posso citar Hitchcock, Chaplin e Keaton como exemplos, mas também meio milhão de youtubers que fazem o mundo de hoje.

Na atualidade, o Youtube transformou a maneira que vemos TV e de nos expressarmos por meio de vídeos. Em menos de um século mudamos várias vezes a maneira de nos comunicarmos. Já passamos por cartas escritas à mão, telegramas, telefonemas, e-mails, chats, mensagens de voz pré gravadas e agora em vídeo.