Métricas

É certo que, independentemente de ser óbvio ou polêmico, seja ela absoluta ou relativa, sempre há uma métrica envolvida.

Seja qual for, é uma métrica que nos define.

Assim como tudo, na contratação de um profissional de tecnologia os extremos são perigosos, a ausência de métrica é tão perigosa quanto a neurose em função da mesma.

Em uma entrevista TOP, fui questionado sobre meu sucesso em produtos anteriores, ótimo! Mas cada produto é uma situação única em um contexto também único. Na atualidade vejo com mais importância o trabalho de um profissional criativo que busque as soluções conectadas ao contexto do produto no momento. Isso porque as fórmulas ensinadas na faculdade já não têm nenhum efeito positivo hoje, assim como já não tinham no exato instante em que foram expostas em sala de aula.

Todo profissional tem como regra a observação de suas próprias métricas e objetivos. Isso é básico, mas o que ele vai fazer com isso é o pulo do gato (miau). É neste ponto que o criativo se destaca: Quais as estratégias, os processos e os testes ele irá fazer para reinventar a sua função na empresa e fazer a diferença.

Claro que estamos falando de um papo DHO de alto nível, esquecendo aquelas entrevistas os sobre uma função e testes sobre outro tema nada a ver.