Atenção no detalhe

Ser eu não é fácil! Pra ser como sou tem que ter muita paciência. Fica melhor se tiver olhos de águia e ainda melhor se souber usar um monte de ferramentas, softwares e linguagens de programação. Já não tenho olhos de águia aliás, nunca os tive. Por certo tenho o dever de ser habilidoso com hardware e software. Só que não.

A situação financeira minha e da metade dos brasileiros está um horror. Nesta hora temos que caçar como gatos e ainda fazer chover. Sou um brasileiro sobrevivente e preciso fazer o máximo com os poucos recursos que disponho.

Aceito doação de equipamentos de informática defeituosos, como aquele notebook que deu problema no cabo flat da tela e que foi até mandado arrumar e o orçamento foi recusado. O meu celular é top e eu comprei por cento e cinquenta reais só porque um carro havia passado por cima.

E o pior mesmo é o micro-ondas que pifou, até consultei o custo do conserto: a metade de um aparelho novo. Por míseros R$22,00 comprei um capacitor e, por “mim mesmo” consertei.

É bem coisa de sobrevivente.

Um dos meus gurus me disse que isso será muito útil em tempos de guerra. Na era do consumismo descartável isso não é valorizado e eu continuo buscando emprego.